quarta-feira, 5 de junho de 2013

Espírito - Alma - Corpo

Espírito – Alma - Corpo J.1- A autoridade e destreza física de Adão Gn. 1:27,28 – Tenham domínio sobre a terra, diz DEUS. Já pensaram na imensidão da terra? Antes da queda, Adão tinha tal força que nunca se sentia cansado depois de trabalhar. Só depois da queda DEUS lhe disse: “ Do suor do teu rosto comerás o teu pão’’. J.2- O poder intelectual e a memória de Adão Gn 2:19 – Não é isto maravilhoso? Adão não foi alguém que memorizou estes nomes zoológicos; foi ele quem deu nomes a todos eles. Por isso sabemos quão rico e perfeito era o poder racional de Adão. J.3- O poder administrativo de Adão Gn 2:15 – De que tamanho era o jardim? Gn 2:10-14, menciona o nome de quatro rios , a saber: Pison, Gion, Trigre, e Eufrates, podem imaginar quão grande era o jardim? Quão grande devia ser a força de Adão, para ser encarregado de lavrar uma terra que era cercada por quatro rios! Ele não devia apenas lavra-la, mas também guarda-la; guardar o jardim para não ser invadido pelo inimigo. A isca do inimigo (Gn 3:5) “ Ser igual a DEUS’’ foi a promessa do inimigo. Ele disse a Eva que, a despeito do poder que ela já possuía, ainda havia entre ela e DEUS um grande abismo. J.4- O poder que DEUS deu a Adão Gn 1:26 – As palavras “ imagem” e “ semelhança’’ podem parecer iguais no significado e daí repetitivas. No hebraico a palavra “imagem ou espiritual. Adão é uma alma , seu espírito e corpo estão unidos em sua alma que possui um poder sobrenatural incalculável. Em Apocalipse 18 são mencionadas coisas que deverão ocorrer nos últimos dias. A alma do homem também se tornará em mercadoria Babilônia – algo que pode ser vendido ou comprado. Mas, porque a alma do homem é tratado como uma mercadoria? Porque Satanás, o seu fantoche, o anticristo, deseja usar a alma humana como um instrumento para suas atividades no fim dessa era. Toda habilidade de Adão tornou-se uma força “latente” em seus descendentes. Veio a ser um tipo de poder “oculto”. Não está perdido para o homem, mas apenas confinado pela carne. A obra do diabo hoje em dia é despertar a alma do homem e liberar este poder latente em seu interior, como uma falsificação do poder espiritual. Libertação e cura Interior J.5 – A atividade do Cristão DEUS nunca opera com o poder da alma, pois é sem utilidade para ELE. Quando nascemos de novo, nós nascemos do ESPIRITO SANTO. DEUS opera pelo ESPIRITO SANTO em nosso espírito renovado. ELE não tem nenhum desejo de usar novamente seu poder original da alma. DEUS deseja que nós, hoje, não usemos este poder de modo algum. De acordo com Ap 18:11-13, no fim da era a obra particular de Satanás e dos espíritos malignos sob sua direção, será comercializar com o poder da alma do homem. A intenção é simplesmente encher este mundo com o poder “latente” da alma. Precisamos entender o que é poder da alma e o que esta força pode fazer; Satanás tentara através dela enganar os eleitos de DEUS. Satanás tenta cegar os corações das pessoas por meio de prodígio do poder da alma, a aceitar uma religião sem sangue: Ele visa substituir a salvação de CRISTO pela força psíquica. O esforço moderno de mudar mais hábitos e temperamentos pela hipnose é um precursor a esse objetivo. Os filhos de DEUS só podem ser protegidos pelo conhecimento da diferença entre espírito é alma. Se a obra profunda da cruz não fora aplicada á nossa “vida adâmica” e se pelo ESPIRITO SANTO uma união de vida real não for realizada com o senhor ressurreto, podemos inconscientemente desenvolver nosso poder da alma. Que DEUS possa nos impressionar com o fato de que onde a força da alma está também o espírito maligno. Não devemos usar o poder que provém de nós; devemos antes, usar o poder que procede do ESPIRITO SANTO. J.6 – A habilidade original da Adão Não foi perdida, ela está apenas escondida em sua carne. Quatro fatos: 1. Havia em Adão um poder quase ilimitado, uma capacidade quase miraculosa; 2. Satanás deseja controlar o poder latente da alma do homem. Ele está bem ciente de que existe tal poder latente da alma do homem, o qual é capaz de realizar muitas coisas; 3. Hoje Satanás deseja liberar e manifestar o poder latente da alma. Logo que o homem caiu, DEUS aprisionou os poderes psíquicos do homem em sua carne; 4.Como Satanás faz uso desses poderes latente? 4.1. “... Vós sereis como DEUS”. Em sua habilidade de operar muitas maravilhas , os homens se considerarão como deuses e adorarão não a DEUS, mas a si mesmos. 4.2. Confundirá os milagres de DEUS. Ele deseja levar a humanidade a crer que todos os milagres na Bíblia são apenas psicológicos. 4.3. Ele confundirá a Obra do ESPIRITO SANTO , com fenômenos semelhantes operados na alma do homem. 4.4. Ele usará o homem como seu instrumento na oposição atual contra o plano de DEUS nesta última era. O ESPIRITO SANTO é o poder operador dos milagres de DEUS, mas a alma do homem é o poder operador de milagres de Satanás. A obra do ESPIRITO SANTO é tríplice: - nos regenerar - vir sobre nós para que possamos ter poder para testemunhar. Nossa obrigação é pedir a DEUS para amarrar a força de nossa alma, isto é, nosso próprio poder. Devemos obedecer a DEUS absolutamente e o resto deixamos que ELE faça. Devemos dizer a ELE: “ Oh DEUS, quero que TU operes; não quero depender do meu talento e poder. Peço-TE que operes, porque de mim mesmo nada posso fazer”. IV – O Corpo Humano Tem seu valor DEUS o criou. Será glorificado como foi O de JESUS. Através do corpo , o amor e o poder de DEUS serão vistos na terra. A importância do Corpo O corpo é o circuito de saúda. É mediante o corpo que o homem é um ser social, religioso e, por meio dele, suas obras serão um dia aprovadas ou reprovadas diante de DEUS. (II Co 5:10). O corpo é o “templo de DEUS” (I Co 3:16) Também em três partes: A. O corpo é o átrio exterior. Aqui o filho de DEUS serve como substituto e morre pela humanidade. B. A alma (emoção, vontade, mente). É o lugar santo de uma pessoa regenerada. Serve a DEUS como o sacerdote no passado o fazia. C. No mais interior, o Santo dos Santos. O “ esconderijo do altíssimo”, a habitação de DEUS. Ele é o espírito do homem. Aqui o homem une-se a DEUS e tem comunhão com ELE, mas sempre por meio do corpo. O corpo propriamente dito, que foi formado do pó da terra, tem em si 18 (dezoito) elementos, essenciais à vida do homem. Não existe no corpo humano nenhum elemento que não seja encontrado na terra. Mais ou menos 72% de oxigênio; 14% de carbono; 9% de hidrogênio; 5% de nitrogênio – alem de cálcio; fósforo; potássio; enxofre; sódio; cloro; cobre; zinco, vestígios de iodo, etc. (Gn 3;19b). A- Coisas que interferem O que pode interferir? Narcóticos, estimulantes, interferem no funcionamento adequado do corpo, impedindo a atuação do ESPIRITO SANTO. O que interfere em sua eficácia física? – o álcool, o café, o chá. O mundo pelo qual você cuida de seu corpo exercitando-se e alimentando-se bem, tem relação definida com o uso que o ESPIRITO SANTO pode fazer de você. B- A relação entre o pecado e o corpo O cristão entra num período decididamente perigoso da sua vida, após chegar ao conhecimento da verdade da co-morte e de experimentar algo da libertação do pecado. A despeito de o seu velho homem ter sido tratado, a sua vida da alma permanece não tratada pela cruz. O que precisamos saber é até onde tal libertação do pecado realmente afetou nosso ser – não somente o que ela tocou, mas também o que ela devia tocar e não tocou. Mas especialmente, devemos compreender que o pecado tem um relacionamento muito particular com nosso corpo. Podemos confessar que o corpo é a província do domínio do pecado. “O corpo do pecado” Rom. 6:6. Ele se tornou a fortaleza, instrumento e guarnição do pecador. Uma leitura cuidadosa de Romanos 6 a 8, que trata da libertação do pecado, revelará, não somente qual é a rela;cão do corpo com o pecado, mas também qual é a perfeita salvação de DEUS no libertar o nosso corpo completamente do servir ao pecado para servi-LO. Romanos 6: “O corpo do pecado fosse desfeito” – v. 6 “Não reine portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes ás suas concupiscências” – v. 12 “Nem tão pouco apresenteis os vossos membros ao pecado como instrumentos de iniqüidade” – v. 13 “Apresentai... vossos membros a DEUS como instrumentos de justiça” – v. 13. Romanos 7: “Operavam em vossos membros” – v. 5 “Vejo nos meus membros outra lei” – v. 23 “Levando-me cativo á lei do pecado que está nos meus membros” – v. 23 “Quem me livrará do corpo desta morte?” – v. 24 Romanos 8: “O corpo está morto por causa do pecado” – v. 10 “Há de vivificar também os vossos corpos mortais, pelo seu ESPIRITO, que em vós habita” – v. 11 “Se pelo ESPIRITO mortificardes as obras do corpo, vivereis” – v. 13 “A redenção do nosso corpo” – v. 23 Por meio destes textos podemos começar a discernir a particular preocupação de DEUS para com nosso corpo. DEUS está consciente que o corpo é a esfera especial de operação do pecado. O homem tornou-se um escravo do pecado porque seu corpo é o fantoche do pecado. O propósito de crucificar o velho homem é o de libertar o corpo do domínio do pecado (naturalmente nossa redenção perfeita, que também inclui a libertação da presença do pecado, jaz no futuro). O corpo pode ser “secado”, mas a alma permanece bastante ativa. C- A alma como vida Antes da queda do homem, ela (a alma) confiava o seu poder à direção do espírito, mas pouco depois da queda, passou a responder totalmente à coação do pecado. Porque o homem tonou-se a natureza do homem, escravizando a alma e a vida do homem e forçando-o a andar após o pecado. Desta forma, o pecado tornou-se a natureza do homem, enquanto que a alma tornou-se a vida do homem. Enquanto ainda somos pecadores: nossa vida é nossa alma e nossa natureza é o pecado. Em outras palavras, o que decide nosso andar é o pecado, mas o que supre a força para andar daquela maneira (pecaminosa) é a alma. Quando um crente aceita a graça de nosso SENHOR JESUS, como sendo seu substituto na cruz, existe nele duas vidas e duas naturezas: de um lado a vida da alma e a vida do espírito e do outro lado a natureza do pecado e a natureza de DEUS. Com seu velho homem crucificado, o crente é capacitado a vencer e desfruta, na experiência real, a promessa de que “o pecado não terá domínio sobre vós”. Com o pecado sob seus pés e todas as cobiças e paixões da carne por detrás dele, o crente agora entra numa nova esfera. Ele pode se considerar totalmente espiritual. D- Um cristão da alma ou carnal A alma conforme herdado de Adão não pode evitar ser contaminada pela sua queda. O velho homem, no crente morreu, mas sua alma conserva o poder por detrás de seu caminhar. Depende da vida da alma para realizar o desejo do espírito é usar a força natural (ou humana) para efetuar a bondade sobrenatural (ou divina). Pecado é o que corrompe, é contra DEUS e é totalmente ímpio; o ego não precisa ser necessariamente assim. Pelo contrário, ás vezes pode ser muito honrado, útil e amável. Por ter estado preso pelo pecado, por muito tempo, o filho de DEUS facilmente interpreta a libertação do seu poder como sendo a vida por excelência. Aqui está o maior perigo para esta pessoa. Ela desconhece que mesmo o “velho homem” tenha morrido para o pecado e o corpo do pecado esteja mirrado, o “pecado”, entretanto, não morreu. Ele apenas torna-se um soberano sem trono, o qual, se lhe for dado oportunidade, exercerá seus melhores esforços para reconquista-lo.

terça-feira, 31 de julho de 2012

Poesia sobre filhas de Sião

A aproximação sematológica e feminista desta composição propõe uma releitura do poema as filhas de Sião (Isa. 3.16-4.1) como um texto de um atentado contra o pudor de uma mulher. Análise desse texto com efeitos danosos para uma certa cultura que revela a interação de sátira com suas poesias mal direcionadas, o misógino influencia atuando a violência sexual dessa retórica e a necessidade para se reinscrever tal texto de terror de uma determinada cultura. Esta sátira poética não possui nenhuma neutralidade ideológica como sua natureza de androcêntrico (em) gêneros o (macho) que se diz poeta de Jeová passa a usar sua cultura machista como método de persuasão para: “o último destino destas mulheres como vítimas depois de ter as escarnecido com estereótipos machistas”. Fica claro aos leitores os atos “perpétuos” de violência contra as mulheres. O ato resistente de reler um texto de violência, porém, autoriza desvelando isto como um abuso de poder e libera expressando advocacia para o sofrimento silencioso que humilhou, desvalorizou e desumanizou. Rosangela Colares

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Igreja Pentecostal do Poder de Deus
Com Pastores Humberto e Rosangela

Campanha de Libertação 1 – Cura Interior

Introd. Seria a cura das memórias que ferem a alma. Seria uma completa libertação dos poderes das trevas. A cura da Alma é necessário, pois tem sido uma das maiores portas que o inimigo tem usado. Ministrando miséria espiritual (tristeza, angústia, cadeias, frustrações...)
 Precisamos curar nossas Emoções, nossa Alma.
 As lembranças amargas não serão apagadas pelo E.S., mas elas serão curadas para que essas lembranças já não cativem mais.
1.) Jesus voltará para uma Igreja Conservada Sã no Corpo, Alma e Espírito
• 1Tes.5:23 – O homem foi criado perfeito nas 3 áreas de sua vida. O homem recebeu saúde física, saúde no espírito e precisa também de saúde da Alma. Deus quer restaurar a imagem dele no Homem e Deus não tem: medo, auto-acusação, não se esconde, não tem complexos, inveja, etc...

• A Alma  É a parte que Satanás mais domina o homem. É na alma que está os sentimentos, emoções, as memórias onde todos os fatos estão registrados, e tudo que marcou negativamente esta vida desde quando nasceu.
2.) Quando o pecado entrou no mundo
 O pecado destruiu a beleza e perfeição da criação: AS CONSEQUÊNCIAS FORAM:
a) Espírito (pneuma) - Ficou “como morto” (afastado de Deus)
b) Alma (psiquê) – Gen. 3:8-13 – Aparecem as primeiras doenças da alma: VERGONHA, INSEGURANÇA, MEDO, CULPA, IRRESPONSABILIDADE, COMPLEXOS, FUGA )
c) Corpo (soma) – Gen.3:16-19 – Sofrimento, fadiga, doenças e morte
 O homem passou a ser cativo de Satanás. Começa a agir agora conforme sua visão distorcida. O Espírito de Deus já não controla mais o homem.
3.) A Igreja Hoje
 Infelizmente durante séculos a igreja somente se preocupou com o Corpo e Espírito do Homem, porém Jesus veio para nos dar vida e vida com abundância.
 Enquanto não houver cura da Alma, as pessoas mesmo que nas igrejas, continuarão a sofrer, entrarão sob influência de suas memórias amargas.
4. ) Plano de Deus para Sua Vida (Is. 61:1-3)
 É perfeito, veja que é profético sobre: o espírito alma e corpo.
a) ESPÍRITO : RECRIADO
b) ALMA : RESTAURADA
c) CORPO: LIBERTO DAS ENFERMIDADES
 É engano pensar que isto acontece de repente na vida da pessoa, é um processo. Na conversão apenas o espírito é recriado imediatamente. O E.S. vem morar no espírito do homem.
 O homem volta a Ter comunhão com o Criador por causa do E.S. que agora habita no homem.

Conclusão: Vamos pedir a Deus que este processo de libertação ocorra em nossas vidas durante estas próximas 7 semanas. Diga: QUERO TER UMA VIDA ABUNDANTE... LIBERTA...

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Apocalipse


APOCALIPSE 6 - OS SETE SELOS: A PRIMEIRA QUARTA PARTE DA TRIBULAÇÃO
Vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos e ouvi um dos quatro seres viventes dizendo, como se fosse voz de trovão: Vem!
Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo e para vencer.
Quando abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizendo: Vem!
E saiu outro cavalo, vermelho; e ao seu cavaleiro, foi-lhe dado tirar a paz da terra para que os homens se matassem uns aos outros; também lhe foi dada uma grande espada.
Quando abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizendo: Vem! Então, vi, e eis um cavalo preto e o seu cavaleiro com uma balança na mão.
E ouvi uma como que voz no meio dos quatro seres viventes dizendo: Uma medida de trigo por um denário; três medidas de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho.
Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizendo: Vem!
E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado Morte; e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome, com a mortandade e por meio das feras da terra.
Quando ele abriu o quinto selo, vi, debaixo do altar, as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam.
Clamaram em grande voz, dizendo: Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?
Então, a cada um deles foi dada uma vestidura branca, e lhes disseram que repousassem ainda por pouco tempo, até que também se completasse o número dos seus conservos e seus irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram.
Vi quando o Cordeiro abriu o sexto selo, e sobreveio grande terremoto. O sol se tornou negro como saco de crina, a lua toda, como sangue,
as estrelas do céu caíram pela terra, como a figueira, quando abalada por vento forte, deixa cair os seus figos verdes,
e o céu recolheu-se como um pergaminho quando se enrola. Então, todos os montes e ilhas foram movidos do seu lugar.
Os reis da terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes
e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro,
porque chegou o grande Dia da ira deles; e quem é que pode suster-se?
O CONTEXTO DE APOCALIPSE 6
Ao nos aproximarmos de Apocalipse 6, podemos nos dar conta de que chegamos ao núcleo do livro de Apocalipse. Fatos começam a desencadear-se a partir dos céus e atingem a terra. Isso ocorre ao mesmo tempo em que João contempla o Senhor Jesus Cristo, o Cordeiro, o Único digno de abrir o livro com sete selos.

Mediante a abertura de cada selo de julgamento, deflagra-se uma tragédia na terra. Tais eventos confirmam que Apocalipse 6 acontecerá durante o período de Tribulação. É a septuagésima semana, profetizada por Daniel, que se inicia. Serão os sete piores anos da história da humanidade.

Por isso, é muito importante situarmos Apocalipse 6 corretamente na linha do tempo antes de seguirmos adiante. Recomendamos que vocês estudem os seguintes pontos antes de continuarmos:

O Período de Tribulação
A explicação dos sete anos de Tribulação
A cronologia do livro de Apocalipse não é sequencial (capítulo por capítulo). Por exemplo, no capítulo 12, há uma quebra na sequência e João narra um resumo da história desde o nascimento de Jesus até o fim dos tempos. Também é importante notar que há sobreposição de eventos neste e no próximo capítulo. Por isso, a sequência não é de todo linear, e necessitamos ter em mente a linha do tempo para não nos perdermos acerca de quando os fatos ocorrem.

O Julgamento dos Selos ocorrem mais especificamente na primeira quarta parte dos sete anos de Tribulação.

Veja também: O Julgamento dos Selos

"Vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos e ouvi um dos quatro seres viventes dizendo, como se fosse voz de trovão: Vem! Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo e para vencer."
Imediatamente após Jesus abrir o primeiro selo nos céus, aparece na terra o primeiro dos quatro cavaleiros do Apocalipse. Este primeiro cavalo (branco) representa o anticristo. Não é o mesmo cavalo branco em que Jesus vem montado na ocasião do seu Aparecimento Glorioso, em Apocalipse 19. Definitivamente são contextos diferentes.

A ascensão do anticristo será favorecida com o cenário político-econômico atual. A ONU simplesmente não é mais respeitada pelas nações. Cada nação segue seu curso independemente de respeitar as vizinhas. Um exemplo de como o mundo está clamando por um líder mundial ocorreu no momento da posse do presidente Barack Obama. Obviamente não estamos dizendo que Obama seria o anticristo, mas o que vimos em sua posse confirma que a reação da população mundial à chegada do anticristo será muito similar, confirmando a profecia bíblica de que ele será adorado.

Obama foi ovacionado, comemorado ao redor do mundo como a ideal esperança da liderança mundial. Alguns telejornais se referiam a ele como "o salvador do mundo", o que é assustador. Exatamente assim será a recepção do anticristo por parte da população mundial. o que facilitará sua rápida ascensão. O anticristo será adorado, a ponto de usurpar a posição de Messias que só pode ser dada a Jesus Cristo. Por isso Apocalipse 6:1 diz que ao cavaleiro do cavalo branco foi "dada uma coroa, e ele saiu vencendo e para vencer."

"Quando abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizendo: Vem! E saiu outro cavalo, vermelho; e ao seu cavaleiro, foi-lhe dado tirar a paz da terra para que os homens se matassem uns aos outros; também lhe foi dada uma grande espada."
O cavalo vermelho representa uma guerra de grandes proporções, muito provavelmente uma Terceira Guerra Mundial. Isso porque o cavalo vermelho consegue "tirar a paz da terra para que os homens se matassem uns aos outros". Esta guerra será provocada porque nem todos os líderes mundais cederão facilmente o seu controle ao anticristo. Por isso, estas nações preferirão guerrear até a morte a simplemente a submeterem-se passivamente ao governo do anticristo.

Dar uma espada, na Bíblia, muitas vezes é uma forma de dizer que se dá a autoridade a alguém. No caso, a autoridade mundial é dada ao anticristo.

"Quando abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizendo: Vem! Então, vi, e eis um cavalo preto e o seu cavaleiro com uma balança na mão. E ouvi uma como que voz no meio dos quatro seres viventes dizendo: Uma medida de trigo por um denário; três medidas de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho."
Este cavalo representa a inflação incontrolável por causa da guerra. Alguns teólogos concordam que o cavalo preto possa representar também a fome causada pela guerra. A palavra "denário" (em outras traduções "dinheiro") significa o salário diário, nos tempos bíblicos, para o mínimo de subsistência. Equivale ao nosso salário mínimo dos tempos de hoje - que nem sempre garante necessariamente a subsistência.

Quando o versículo 6 diz: "Uma medida de trigo por um denário [um salário de um dia de trabalho], e três medidas de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho." (AMP) significa que o dinheiro das pessoas vai valer muito pouco, e que para se comprar o mínimo, será necessário todo o salário, devido à inflação alta provocada pela guerra mencionada em Apocalipse 6:4-5.

Somente como informação histórica, o azeite e o vinho, no tempo bíblico, eram produtos caríssimos. Somente os ricos tinham acesso a grandes quantidades destes produtos. O fato do versículo 6 dizer para não se danificar o azeite e o vinho, pode muito bem indicar que os produtos dedicados aos ricos não serão afetados pela inflação e pela guerra. Como sempre, quem sofrerá com a guerra serão as pessoas comuns.

"Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizendo: Vem! E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado Morte; e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome, com a mortandade e por meio das feras da terra."
Esse cavalo representa a morte. A cor amarela, pálida, confirma a própria descrição do cavalo no versículo 7. Toda guerra obviamente gera morte. Entretanto, o pós-guerra provocado pelos cavalos anteriores contribuirá para o cenário de mortandande.

A taxa de mortalidade até este momento da Tribulação será absurda: tomando como base que somos, hoje, em 6 bilhões de habitantes mundiais, e sem considerar quantas pessoas seriam arrebatadas antes do início da Tribulação, um quarto de toda população mundial (1,5 bilhão de pessoas) morrerá " à espada" (durante a guerra) ou "por meio das feras da terra" (ficarão ao relento e sofrerão ataques até dos animais da terra).

O versículo também diz que "sendo este chamado Morte; e o Inferno o estava seguindo". Isso pode até mesmo sugerir que o Inferno tenha esta mesma cor amarela, pálida, tal como esse cavalo.

"Quando ele abriu o quinto selo, vi, debaixo do altar, as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam. Clamaram em grande voz, dizendo: Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? Então, a cada um deles foi dada uma vestidura branca, e lhes disseram que repousassem ainda por pouco tempo, até que também se completasse o número dos seus conservos e seus irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram."
Este selo mostra os mártires, ou seja, aqueles que morreram por Cristo durante a Tribulação. Eles fazem parte da colheita de almas que acontecerá durante a Tribulação. Estes crentes até então seriam evangelizados principalmente pelas 144 mil testemunhas de Apocalipse 7.

O anticristo perseguirá e matará quantos cristãos ele puder durante seu governo mundial. Todos que morrerem durante a Tribulação, por darem testemunho verdadeiro de Jesus, "por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam", serão feitos mártires nos céus.

Esses mártires clamam por justiça diante do Trono de Deus: "Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?". Apesar do clamor, o período de Tribulação comprirá sua duração prevista na profecia bíblica e seguirá seu curso até o final, "até que também se completasse o número dos seus conservos e seus irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram". Será o período de maior crueldade contra os cristãos, mas a esses que clamam por justiça é pedido que "que repousassem ainda por pouco tempo", até que o Período de Tribulação seja completado.

"Vi quando o Cordeiro abriu o sexto selo, e sobreveio grande terremoto. O sol se tornou negro como saco de crina, a lua toda, como sangue, as estrelas do céu caíram pela terra, como a figueira, quando abalada por vento forte, deixa cair os seus figos verdes, e o céu recolheu-se como um pergaminho quando se enrola. Então, todos os montes e ilhas foram movidos do seu lugar. Os reis da terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro, porque chegou o grande Dia da ira deles; e quem é que pode suster-se? "
Este selo, assim que é aberto, dispara uma séries de catastrófes na terra. O primeiro deles é um terremoto gigantesco, em nível mundial, indicando que chegou o grande dia da ira de Deus. A violência do terremoto será tamanha que até montes e ilhas se movem de seus lugares originais. Vimos exatamente isso acontecer na ocasião do tsunami provocado pelo megaterremoto em dezembro de 2004 na Tailândia. A intensidade do movimento das placas tectônicas foi tão grande que houve um ligeiro deslocamento da latitude e longitude de algumas ilhas da região. Houve, na realidade, um deslocamento de alguns metros das ilhas da região no pós-terremoto (clique aqui para mais detalhes).

Além disso, o sexto selo indica que haverá enegrecimento nos céus, a lua tornar-se-á em cor de sangue (cumprindo Joel 2:31) e que estrelas (muito provavelmente meteoritos) cairão sobre a terra, provocando destruição.

A passagem diz também que "os reis da terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro, porque chegou o grande Dia da ira deles; e quem é que pode suster-se?". Em outras palavras, as pessoas terão plena consciência de que estarão vivenciando o período de Tribulação. O mundo saberá que estará debaixo de juízo divino nessa ocasião. E sabem muito bem que o juízo vem de Deus Pai e de Jesus Cristo, porque se referem aos autores do juízo como a "face daquele que se assenta no trono" e a "ira do Cordeiro".

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Vencendo as tentações


Vencendo as tentações

Eu quero trazer uma palavra sobre um assunto que atinge todos os seres humanos evangélicos, não evangélicos muito santo, pouco santo, toda pessoa que vive dentro de um padrão de normalidade de um ser humano sofre isso que eu vou falar, eu quero falar de um assunto que é peculiar a vida diária em cada um de nós Vencendo as tentações.

Evangelho de Mateus cap 4 – Vamos falar sobre as tentações de Jesus.

Algumas considerações iniciais sobre a questão da tentação, a 1ª tem a ver com o texto, Jesus foi tentado na forma humana, isso para tirar qualquer dúvida de alguém que queira questionar que Jesus foi tentado na exclusivamente forma divina e por isso Ele venceu o diabo, a prova de que Jesus foi tentado da forma humana é que no final de 40 dias e 40 noites Ele teve fome, fome é um dos instintos mais veementes do ser humano evidente que Jesus fez jejum de comida que quem faz jejum de 40 dias e 40 noites e não bebe líquido morre desidratado, então Jesus não se alimentou ele apenas bebia água para não ficar desidratado e por isso que o texto diz que ele não teve sede, Ele teve fome.
A 2ª consideração que eu quero fazer acerca de tentação, é que a tentação pertence à natureza humana do homem. I Coríntios 10:13. a - Não veio sobre vós tentação, senão humana;

A 3ª colocação que eu quero fazer é que a tentação esta ligada ao que causa desejo na natureza humana e desperta vontade.
A 4ª consideração que eu quero fazer sobre a questão da tentação ou tentações é que a tentação não é pecado, não precisa pedir perdão porque esta sendo tentado, a bíblia mostra onde é que começa o pecado. Tiago 1:14 e 15.Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.
O texto mostra cada um é tentado quando é atraído, eu não disse que a tentação é aquilo que desperta vontade que causa desejo, então você é atraído agora até aí tudo bem, agora onde começa o processo do pecado, envolvido pela sua própria cobiça, havendo a cobiça concebido, aqui começa o pecado, quando você concebe, maquina, introjeta, alimenta na sua mente no seu coração da luz ao pecado, o pecado sendo consumado gera a morte. Exemplo prático, você ta duro que dá dó, aí aqui tem o dinheiro, aí você passa vê o dinheiro puxa vida resolvi o meu problema, mas não é meu, ok olhou foi tentado ta precisando de dinheiro, agora você vem de novo caramba o dinheiro! isso resolvia meu problema é resolve mesmo, acho que vou pegar esse dinheiro, ôpa eu já concebi, já começou a brotar o pecado, até eu passar o dinheiro me atrair e eu dizer pôxa isso aí podia até resolver meu problema, é uma historia, na hora que eu digo é... esse dinheiro aí podia resolver meu problema vou pegar esse dinheiro, eu já concebi ainda não pequei mas já concebi o pecado já brotou ai eu vou consumir o pecado eu vou pegar, já estou num processo de morte espiritual, então a tentação não é pecado mas ela pode levar você se você alimentar aquilo que esta te atraindo ao pecado, uma outra verdade que eu quero deixar sobre a questão da tentação é que Deus não tenta ninguém, Tiago 1:13 diz: Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta.
A 6ª verdade que quero falar sobre a questão da tentação é que: ninguém é tentado acima do que pode. Vamos voltar I Coríntios 10:13: Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.

Mas pastora porque eu caí, porque eu pequei? Porque você quis. Ninguém é tentado acima do seu limite, então porque caiu? porque pecou? Porque deu vasão, porque quis porque teve vontade e você toma suas decisões.

Tentações!


A outra verdade sobre as questões que envolvem as tentações é que: Satanás joga pesado pra levar você a dar um passo depois da tentação. É o que nós vamos ver aqui com Jesus. Agora antes da gente ver como é que o diabo trabalha nesse processo da tentação eu queria te dizer algumas estratégias que usa na tentação ele trabalha nessa área pra ver se atrai a mim e a você pra ver se desperta algum interesse para nos envolver pra concebermos o pecado gerarmos o pecado. Algumas estratégias dele você precisa esta atento.
1º Satanás quando ataca, ele ataca com força total não pense que o Diabo vem pra brincar não ele quando ataca pra arrebentar, no caso de Jesus foi ele veio pessoalmente, o próprio Lúcifer diretamente pra tentar derrubar Jesus satanás quando ataca ele ataca com a força máxima.
2º Uma outra estratégia que satanás utiliza na questão das tentações ele adora jogar pesado quando agente está sozinho, não tem pastor, não tem pai, não tem mãe, não tem mulher, não tem filho, não amigo. Quando você esta sozinho. Satanás esperou Jesus esta sozinho, cuidado, muito cuidado, não tem ninguém pra te censurar, não tem ninguém te ajudar, não tem ninguém pra da mão a você, cuidado abre o olho. Ele joga pesado nesta área.
3º Na questão das tentações ele gosta de utilizar sofismo, são argumentos aparentemente válidos não conclusivos e quem os utiliza, utiliza de má fé, foi o que o diabo fez, o diabo até citou a bíblia pra Jesus, o diabo até citou texto pra Jesus, mas ele não o objetivo de trazer a verdade da palavra, ele usou aquilo apenas uma parte da palavra, apenas onde interessava, ele faz isso ele usa alguma verdade aparente não conclusiva pra tentar nos enganar pra tentar nos derrubar.
4º Sobre a estratégia de satanás e a questão das tentações, ele chega na hora que agente tiver mais fragilizado, o diabo tem um ardil psicológico tremendo ele vê qual é a área que você esta mais fragilizada é a hora que ele chega e nos vamos vê isso na tentação de Jesus. 1º ataque de satanás a CARNE, que é que é carne? A natureza humana, Jesus jejuou 40 dias 40 noites tava com a fome danada, o Diabo olha vê Jesus na hora da sua maior fragilidade e ele tenta trazer uma saída e uma solução pra sua fragilidade: se tu és o filho de Deus transforma estas pedras em pães. Eu quero dizer pra você que satanás não tem solução definitiva pra ninguém, porque se Jesus transformasse as pedras em pães daqui a algumas horas sentiria fome de novo. O diabo só tem solução aparente, agora você tem que tomar cuidado porque ele chega na hora que você esta fragilizado. Eu quero falar algumas coisas aqui em tese: Por exemplo, uma mulher nova 23 24 25 anos, mulher nova bonita, abandonada pelo o marido, esta emocionalmente fragilizada, e o diabo sabe, aí o diabo pega um filho dele, um filho do inferno, a pessoa esta fragilizada emocionalmente fragilizada aí chega um filho do capeta, filho do inferno pra colar do teu lado, ele não quer nada com você, ele chega naquela hora da fragilidade, olha aí sabia que você é a mulher mais linda desse lugar? Ele chega no momento da maior fragilidade. Cuidado na hora da sua maior fragilidade da sua natureza o diabo pode chegar, empreende um jogo de sedução, ele quer nos seduzir, ele utiliza seus elementos pra nos tentar a fim de nos derrubar, irmãos tudo que é da natureza humana a bíblia manda fugir I Coríntios 6:18 Fugi da prostituição. II Temóteo 2:22 Foge dos desejos da mocidade. Tudo que é da minha carne, saia pela tangente, o que me atrai esta aqui, vou lá, se o que me atrai esta ali, venho pra cá. Tudo o que estiver atraindo a tua natureza cai fora. Não tem pastor, não tem grande pregador. Irmãos, o homem no Antigo Testamento com a demonstração mais visível e poderosa do E. S. no A.T foi Sanção, foi brincar com a carne, com sua natureza, se arrebentou todo. É porque tenho poder aleluia. Vigia. Vigiar e orar.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

:¦:--:¦:--:¦:Agradecendo :¦:--:¦:--:¦:




:¦:--:¦:--:¦:Agradecendo :¦:--:¦:--:¦:


Ontem,meu aniversário,dia de celebração da minha vida.
Hj é meu ano novo,mais um ciclo se inicia mais coisas a aprender,mais conquistas e crescimento,.
Feliz por mim mesma,não apenas por motivos externos quaisquer. Feliz por estar aqui, por ter controle da minha vida.
Eu sei dos meus desejos, metas, o que quero (e o que não quero), o que me faz feliz, o que me dói.
E tenho os que me amam ao meu lado e isso é motivo para estar bem.
Todos os que me cercam, me amam me afagam, simplesmente deixam minha vida ainda mais bonita.
Eles são tantos! Como agradecer?
Agradeço amando, sorrindo e oferecendo o que tenho de melhor...meu amor completo e irrestrito aos que sabem retribuir, aos que sabem receber esse amor sem tamanho . Obrigado por estar aqui nesse novo ciclo da minha vida que se inicia, viu.
Sinto-me "especial" por ter o seu carinho e por poder dar (ou tentar dar!) o melhor de mim, a cada dia.
Ah, nem sei como agradecer tantos e-mails, telefonemas, mensagens no celular, e os que estiveram pessoalmente me afagando.
Sinta no meu abraço, o meu desejo que saiba o quanto valorizo nossa amizade.
QUE DEUS ABENÇÔE A TODOS VOCÊS MEUS LINDOS AMIGOS(AS).

Beijo meu!


domingo, 17 de janeiro de 2010

A Mulher na Bíblia




No primeiro capítulo de gênesis Deus criou homem e mulher simultaneamente. E a primeira instituição que levantou foi a família, “então Deus os abençoou. Crescei e mutiplicai-vos”.
Gênesis 1:27 Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
Gênesis 1:28 Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra.

No segundo capítulo, os dogmas incorporaram em credos religiosos derivados do Judaísmo, ensinando que a mulher foi feita depois da criação, o sexo dela passa a ser um infortúnio, o matrimônio uma condição de subordinação e maternidade uma maldição, está ao contrário da lei de Deus (como revelada em natureza), e para os preceitos de Cristo e, estes dogmas são um veneno insidioso, enquanto solapando a vitalidade de nossa civilização, tentando destruir a mulher, e, por ela, paralisando a humanidade; então seja isto "resolvido, que nós chamamos no ministério cristão, como líderes de pensamento, ensinar e obrigar a idéia fundamental da criação, que o homem era feito na imagem de Deus, macho e fêmea e direitos iguais em cima da terra, mas maior que outro, cumprindo assim seu papel na terra.
Além disso, eu pergunto cadê o reconhecimento da declaração bíblica que, na religião cristã, Gálatas 3:28 Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.
Vejam por enquanto o Livro Conhecendo Melhor o Antigo Testamento de Stanley A. Ellisen.
A Criação de Adão foi realizada em 4.175ª.C. , Moísés no êxodo escreveu o que recebeu por transmissão oral em 1.445 a.C. são 2.730 repassando de pessoa pra pessoa a história da criação.
Vocês já participaram algumas vez da brincadeira do telefone sem fio? Perceberam como é que a frase inicia e como ela termina? Na minha sala de aula chegou a metade de frase diferente.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

As promessas de Deus


As promessas de Deus

A questão não é você saber você se tem direito as promessas de Deus. A questão é como você pode obtê-las. Aqui é que esta o segredo, dizem os estudiosos que existem mais de 30 mil promessas na bíblia. E elas são pra mim pra você então o que é que eu tenho que fazer para me apossar das promessas que eu tenho direito. Aí você precisa aprender os princípios de Deus pra você botar a mão nas promessas.
Fundamental não é você saber que você tem direito as promessas, o fundamental é você saber os princípios para se apossar das promessas, você esta pronto?
Então vou te dar aqui alguns princípios e dizer pra você algumas coisas relativas às promessas de Deus.
Vamos ler II Coríntios 1:20 . Porque todas quantas promessas há de Deus são nele sim; e por ele o Amém, para glória de Deus, por nós.


Sabe o que é que Paulo esta dizendo aqui? Eu vou interpretar numa linguagem mais fácil. Deus faz a promessa, Jesus concorda com ela, pra você obter as promessas só através de Cristo, com que objetivo?
Para a gloria de Deus por nós, é só pra confirmar o texto que você tem direito as promessas de Deus declare para quem esta do seu lado, você tem direito a promessa de Deus através de Cristo. Vamos aprender alguma coisa sobre promessas e como você pode recebê-la.
1º pra que você receba as promessas de Deus o 1º principio que vai nortear tudo que vou falar aqui, você precisa crer que tem o direito de receber. Que adianta você saber que tem promessa se você não crer? A maior de todas as promessas: João 3:16
A promessa que foi feita a Abraão em Hebreus 11.9 diz que Abraão pela fé habitou na terra da promessa. É pela fé em nome de Jesus meu irmão a bíblia diz em romanos 10:17 que a fé vem pelo o ouvir e ouvir a palavra de Deus eu estou pregando a palavra de Deus é possível ser produzida fé no teu coração, creia nessa noite, creia em nome de Jesus que as promessas são para você.
2ºPrincipio para você receber as promessas, 1º você tem que crer, se você não crer você não tem promessa. O 2º principio grave que é muito importante, você precisa obedecer aquilo que Deus determina pra tua vida pra você poder receber, você precisa obedecer, e Deus não exige as mesmas coisas das pessoas, é isso que você precisa entender. No caso de Abraão, lembra da promessa de Deus pra Abraão? A condição foi sai. Sai da tua parentela. Deus o mandou sair e não sabia nem pra onde ia. Para Abraão ele tinha que sair da parentela, e pra Noé? Noé tinha que construir a arca. Diferente, não é igual, Deus pode exigir uma coisa do teu pai e outra de você, do teu irmão e outra de você, da tua mulher e outra de você. E o Espírito Santo esta falando com gente aqui, o que é que Deus quer da tua vida, para que Ele abra as janelas do Céu e as promessas de Deus se cumpram em você. Você esta no lugar que Deus quer que você esteja, você esta fazendo que Deus quer que você faça? Ou você esta fora da vontade de Deus? Ou você é um João teimoso, cabeça dura. É que eu já tenho falado e estou te falando mais uma vez aqui, que se você
Não obedecer não recebe nada das promessas de Deus. O segredo das promessas de Deus na minha vida e na tua vida, obedecer a determinação de Deus.
3º Principio , você precisa aprender uma outra coisa importante sobre promessas de Deus. Espere o tempo que for necessário, não desista nunca. Eu vou te dar umas dicas aqui de promessas de Deus em relação ao tempo da visão humana, não na divina, tempo na visão humana cronos, que na visão divina é kairos. 1 hora, duas horas três ,dois anos. Isso é cronos. Em relação a tempo, é profético o que eu vou falar.
Eu quero declarar aqui na autoridade no nome de Jesus e no poder da sua palavra. Existem promessas de Deus que são imediatas, Deus te faz uma promessa hoje e imediatamente Ele te dá. Deus te faz uma promessa hoje e hoje ou amanhã você recebe.
Você quer vê uma promessa de Deus imediata? Romanos 10:13
Você pode te fazer uma promessa financeira de manhã e no final do dia você receber. Existem promessas que você vai ter que esperar pouco tempo. PROFECIAS.
Agora tem promessas que demoram pouco, por ex: Lucas 24:49 – Atos 2 . Em 10 dias pouco tempo. Eu quero declarar profeticamente aqui. Promessas de Deus na tua vida.
De gênesis 12 a gêneses 21 Deus fez uma promessa a Abraão são 25 anos. Há quanto tempo você esta esperando uma promessa de Deus? 8 anos? 14 ? Deus manda dizer pra você não desista. Tem gente aqui que tem promessa de Deus que vai ter que esperar muito tempo. Enquanto reclamar, questionar não recebe. Calebe, sabe quanto tempo Calebe esperou pela promessa de Deus? 45 anos.

Pastora me da uma formula de como esperar a promessa de Deus durante tanto tempo? A bíblia traz a resposta em Romanos 4:20e 21. Quando Abraão começava a ficar com medo, gloria a Deus. O tempo passando e o filho da promessa não chegava e Abraão dava gloria a Deus. Portanto queridos se Deus tem promessa na tua vida, mas ainda não chegou, saiba, ela vai chegar, determina. CREIA< OBEDEÇA E NÃO DESISTA.

Graça e paz

Pastora Rosangela Colares

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

O mêdo priva-o da liberdade





Pensamentos em confluência com William P. Young

A Pessoa que vive dominada pelos medos não encontra liberdade no amor de Deus. Não falo de medos originais, ligados a perigos reais, e sim de medos imaginários, e especialmente da projeção desses medos no futuro. À medida que dá lugar a esses medos, passa a não ter a certeza de que Deus realmente é bom, nem sabe no fundo do seu coração que Deus a ama. Pode até falar que sim, mas não tem certeza (...)
Lêem livros de auto-ajuda, coloca-os na cabeceira da cama, como um ritual de mudança de vida, vão ao psicólogo, psicanalista e até psiquiatras. Mas a vida continua a mesma (...).
Os humanos feridos centram sua vida ao redor de coisas que parecem ser boas para eles, procuram compensação, Mas isso não irá preenchê-los nem liberta-los. Eles são viciados em poder, ou na ilusão de segurança que o poder oferece. Quando acontece algo errado ou ruim, essas mesmas pessoas vão se voltar contra os falsos poderes nos quais confiavam.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

A História de Rute


PALAVRA REVELADA - ESPIRITO SANTO



Pastora Rosangela no personagem de Rute - Festa dos personagens bíblicos.

DIREITOS AUTORAIS DA IMAGEM
Creative Commons License
This obra by A Historia de Rute(imagem e texto) is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.

O livro de Rute tem a grande apelação universal. Na superfície, é a história de uma mulher virtuosa. Mulher nova que saiu de sua família e de sua nação para moldar sua vida com um povo de uma religião que não conhecia previamente. Seu pensamento era puro, o caráter nobre do comportamento ganha o papel de progenitora de uma dinastia real. É impressionante a sua dignidade e o seu comportamento refinado, extraído da sua pureza e a força de sua fé. A história de Rute nos deixa com a impressão de otimismo, a esperança,confiança é um sentimento de realização. Há, entretanto, muito mais de Rute para conhecermos porque ela é uma história de resgate e de restauração.

É precisamente este elemento que traz em nossos pensamentos as emoções e os sentimentos mais profundos e que nos faz despertar o sentido da identificação e relevância a nossas próprias vidas individuais e pessoais, a nossos próprios esforços com distanciamento e desespero, ao nosso próprio desejo e a busca para a restauração. Nós fazemos um exame de Rute pessoalmente porque em algum momento nós detectamos que é nossa própria história. Nós, como Rute, às vezes estamos longe de nossa terra natal, mas acreditamos em um porvir de vitórias. Como ela, nós às vezes estamos longe para retornar à terra prometida, muitas vezes em determinados momentos, achamos que não vamos conseguir. A história de Rute ensina-nos que aquele resgate deve ocorrer dentro de uma família, de uma comunidade, e de uma nação.

Muitas vezes precisamos de um consolo, um conforto, mas não encontramos quem o faça, e geralmente no momento em que mais precisamos, somos esquecidos. Nós naturalmente somos formados por nossa família, e identidades nacional e cultural. Estas são limitações pessoais, mas nós podemos aproximá-las e juntá-las com outras. Rute transformou o antepassado dos reis; porque deu a bondade e a devoção à outra nação. Naquele momento ela não fora somente a Moabita, mas também uma Judia; não deixou uma sociedade atrás, mas se preocupou em juntar, em unir-se, e por isso alcançou o livramento, a salvação é a bondade. O professor R. Zeirah disse: “Este pergaminho não contém leis de pureza ou impureza, nem o que é permitido ou proibido. Por que se escreveu? Para ensinar a recompensa daqueles que tratam amavelmente os outros.” Rute, como nós dissemos, é uma história exemplar de resgate; entretanto, é uma história complexa, dentro do que podem ser discernidos três ciclos interconectados.

O primeiro é a semente de Elimeleque que retorna ao seu povo. E seus filhos saíram de sua nação, mas sua viúva, a nora e sua geração retornam. O segundo círculo é o retorno da filha de Ló a sua posição legal na família de Abraão. A família de Ló desceu na licenciosidade e na carnalidade (ver o Gênesis 19). Assim, separou-se do destino messiânico de Abraão para a humanidade. Com Ruth a aliança messiânica retorna para Davi que seria seu bisneto. Este retorno, como todos os retornos, não era esforço fácil. Os traços de sua herança Moabita(amaldiçoada) eram como tropeço para Davi e Salomão. Sua missão como uma atalaia era quebrar completamente a maldição que Ló gerou em um ato irresponsável, tomado pela bebida; com suas filhas, cometendo um incesto. Salomão casou com muitas esposas e ficou longe da vontade de Hashem (Hashem, do hebraico O Nome. É uma forma para designar Deus, no judaísmo, visto que o verdadeiro Nome de Deus YHWH, foi perdido após a Segunda Destruição do Templo, o de Salomão). O desejo sexual de Ló, que gerou a geração de Moabe destruiu as vidas de outros descendentes de Davi: Adonias, Amon, e Absalão. Davi ele mesmo foi testado nas experimentações de Mical, de Abigail e, naturalmente, de Bate-Seba. Sabendo da historia, nós podemos apreciar seu sucesso final em superar uma tentação ainda maior. Uma outra lição que este livro nos ensina, a sua existência requer a separação.

Noemi beija Rute e foi com ela a seu futuro, mas Orfa beijou-a e voltou para o seu passado. O filósofo Sages diz-nos aquela que voltou se transformou outra vez na filha do Ló. Cem homens impregnaram-na e dessa semente veio Golias que enfrentou Davi em cima do campo fatal da batalha. “Temos na história um exemplo negativo e outro exemplo positivo de amor”: Orfa é um exemplo do amor negativo: (representa o amor deste mundo): O amor do mundo busca o seu próprio interesse. Orfa pensou em si mesmo e partiu para buscar o seu interesse e seu bem-estar. Orfa era “insegura e abandonou Noemi na hora em que ela mais precisava”. Rute é o exemplo do amor positivo: (representa o amor de Deus): O verdadeiro amor: “paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. (ICO 13: 4-7). Rute amava Noemi com um profundo amor, a ponto de renunciar a sua liberdade e decidir viver ao seu lado até a morte, independente da situação que poderiam passar. Ela abriu mão dos seus próprios interesses para buscar o bem-estar da sua companheira. Quando realizamos casamentos aqui, essa é a passagem que usamos para profetizar, abençoar os casais, em sua fidelidade no seu relacionamento. Nós enfrentamos as escolhas diárias de nossas vidas e estas escolhas têm conseqüências. Nós recuperamos e nos redimimos, mas nós também devemos rejeitar; este não é um processo fácil e há muitas armadilhas. Nenhuma quantidade de auxílio Divino pode permitir que nós escapemos do dever para enfrentar a verdade que nós já sabemos, mas o coração diz: não para a mente. Para o raciocínio. Antes da salvação, vem a separação de bom o do mal, o diabólico, daquele que deve ser resgatado, daquele que deve, possivelmente passará pelo o processo de sentir-se rejeitado e abandonado. O terceiro elemento é a redenção Messiânica para Davi, que está no apoio da história. Até mesmo para os judeus que praticam a cabala, ensinam que as três sílabas de Adam (em inglês) estão para os três estágios da história humana. A para Adam, D para Davi e M para o Messias. O livramento de Rute é assim uma parábola para o panorama inteiro da história humana e este elemento não esta longe da superfície deste livro. Já perceberam a importância do papel dessa mulher, para o resgate de todos nós, até mesmo gentios?

Nossa tarefa, conseqüentemente, será menos a de inovação do que para descobrir a sabedoria profunda do filósofo Sages que falou nas parábolas e nas alusões. A fonte da verdade viva não cessou e nós devemos extrair dela. Nosso estudo da vontade de Rute seja que conseqüentemente uma oportunidade de aprender como extrair das fontes profundas da palavra de Deus. Eu espero que você ouvinte e seguidor da palavra de Deus que é fiel e verdadeira mergulhem nas águas dessa fonte que não faz acepção, mas que alimenta nosso espírito e transformam homem e mulher feitos a imagem e semelhança de Deus. Em verdadeiras atalaias para o cumprimento das suas promessas. Espero que enquanto tento redigir estas águas profundas e vivas, virei ser impressa pela sabedoria e pela honradez do mestre Jesus, através do seu Santo Espírito. Transmitindo-lhes a verdade que liberta e transforma pensamentos, decisões, atitude e escolhas, e que tenhamos a sabedoria, humildade, o amor positivo, que superabunda na verdadeira graça, e nos faz cumprir fielmente com a missão cabida á cada um de nós pelo o Rabi, o mestre Jesus. Sem acepção, sendo libertos e não escravos da tradição do homem, ou das leis exercidas pelos os mesmo, e para que, libertos de tais sentimentos possamos viver e conviver com o ide do nosso senhor Jesus Cristo, na paz!
No amor de Cristo
Pastora Rosangela Colares

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O que mais argumentar contra o chamado para mulheres pastoras?




Como a cultura iraquiana (mesopotâmica, para aqueles de uma hermenêutica mais escorreita) influenciou a Bíblia.
A cultura filistéia também tem a sua influência na Bíblia.
Labão, ao tratar com Jacó em dar-lhe uma filha como esposa, deu a que Jacó não pedira. Como não havia Procon, ele teve que continuar trabalhando para pagar pela esposa. A resposta de Labão era que "não era costume" entre eles, que se desse a mais nova antes que a mais velha.

Quando Sansão - agora o povo estava na terra santa, se enamorou de uma filistéia, o pai da moça afirmou a mesma coisa, depois disse: "pode tomar a mais nova para você".

No NT, o apóstolo Paulo, provavelmente na Europa (ou Eurásia), escrevendo aos Coríntios, afirmou: "se algum pai acha desonroso que sua filha não case, então, que dê sua filha em casamento".
O princípio é o mesmo na Mesopotâmia antiga, no décimo primeiro século (talvez) e no NT: pais têm direito de dar a sua filha a quem ele quiser, assim como têm direito de dar qual ele quiser para o candidato a genro.

Sugiro que resgatemos essa prática. Acabemos com o namoro de nossas filhas (logo, os nossos filhos também deixarão de namorar). Façamos os devidos acertos, contratos, exijamos os dotes. Isso é bíblico! Misericórdia

Por analogia (o princípio da não-pastora), é o argumento que alguns utilizam.

Poema em parceria Humberto e Rosangela - CLIQUE EM CIMA E TERÁ MELHOR VISÃO

terça-feira, 26 de maio de 2009

IMPLICAÇÕES SOBRE ORDENAÇÃO FEMININA


Em um determinado tempo, no AT, o chefe de família, além de sacerdote, tinha direitos sobre a vida de seus familiares (o episódio de Judá e Tamar que o digam, ou no caso dos pais que tinham filhos rebeldes). Em um determinado tempo, no AT, o poder sobre a vida de alguém estava com os líderes mais velhos da comunidade. Houve um outro tempo, no AT, em que o rei detinha o poder sobre a vida de seus "cidadãos" (Davi acerca de Absalão, Uzias... Salomão com os "inimigos de Davi, seu pai", Acabe, que acabou com a herança de um homem para "herdá-la". O que se vê em tudo isso? Eu vejo uma re-leitura da teologia tanatológica! Ou seja, tempos e lugares diferentes, atitudes e legislações diferentes. Então, não vali: "Aquilo, logo, isto", ou seja, só vale hoje o que valeu lá. Portanto, digo eu, se eles não ordenaram mulheres, e onde na bíblia se fala de ordenação masculina ou feminina? É proibido que se faça o que eles não fizeram. Então que a forma de se matar ou o direito sobre a vida de alguém que volte ao tempo pré-mosaico!

Graça e paz!

Pastora Rosangla Colares

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

AFINAL DE CONTAS, POR QUE NÃO PASTORAS?


Nesse período havia um descaso e banalização do sacerdócio (exemplificado por Mica, Juízes 17-18, tão grande que praticamente não dava para conceber a idéia da existência de uma pessoa que falasse e oficiasse em nome de Deus e fosse conhecida como sacerdote. Ser sacerdote era sinônimo de estar com o "filme queimado", de pessoa sem palavra e sem caráter. Para falar de Débora, o escritor precisava usar uma terminologia que, ao mesmo tempo, fosse conhecida e não provocasse uma distorção da imagem que queria retratar. Daí as palavras juíza e profeta, Juízes.
O texto porém conta a vida de Débora que, conquanto tenha sido qualificada como juíza e profeta, realmente agiu como "pastora". Senão vejamos: diante de um povo em sofrimento por causa da opressão externa, Juízes 4.3, ela certamente, falando em nome do Senhor como profetisa (a profecia é uma característica fundamental na vida de um pastor) teve também a sensibilidade e o discernimento para ouvir a voz do Senhor e a sua convocação para reviravolta, Juízes 4.6; como alguém que conhecia o seu rebanho, sabia exatamente quem convocar para liderar o povo nessa empreitada, Juízes 4.6; como líder, e cheia de fé no cumprimento da Palavra divina, soube encorajar Baraque para que assumisse tal tarefa, Juízes 4.6,7.; como exemplo que era e diante da insegurança do mesmo Baraque, acompanhou a expedição, Juízes 4.9; na integridade que possuía, "abriu o jogo" e sinceramente revelou de antemão para Baraque que a glória da vitória não caberia a ele, em decorrência da sua insegurança e incredulidade, Juízes 4.9; na sua humildade elevou um cântico ao Senhor pela vitória conquistada, Juízes 5.1-4,13; na sua sabedoria, conduziu o povo que por quarenta anos esteve em sossego e em paz, Juízes 5.32; no referencial de vida e fé que era, contaminou Israel de uma forma que só após esse período é que o povo voltou a pecar contra o Senhor, Juízes 6.1.
Quem não sonha com um pastor que transmita a mensagem de Deus, caráter profético, que tenha uma palavra de alento oriunda do Alto para o seu coração sofrido por esse sistema desumanizante nos quais estamos inseridos? Quem não quer um pastor sensível à voz do Senhor com discernimento, qualidade ímpar de um juiz, para ministrar à vida das pessoas e da igreja com visão do micro e do macrocosmo? O que não pensar do pastor que, além de tudo, seja humilde, dependente do Pai, líder capaz (não só para conduzir, mas também para incentivar), sincero e com uma integridade que inspire a todas as suas ovelhas? E se esse "sonho de pastor", com todas essas qualidades fosse do sexo feminino? Por que não a acolheríamos como pastora?
E o que não dizer de Débora? Será que nós aceitaríamos hoje como profetisa e juíza, isto é, como pastora? Será que teríamos coragem de perder uma pessoa com esse potencial em nome de um paradigma que não acredita na existência de pastores (as) desse nível? Para aqueles que ainda teimam em alimentar esses sonhos inversos, o Livro de Juízes revela uma "pastora" que, com todas as falhas que deveria possuir enquanto pessoa, nos legou um exemplo de vida, ministério e condução do rebanho num momento complicado da história de Israel. Penso que exemplos como o de Débora estão contidos na Bíblia para nos mostrar que, sendo as diferenças e os preconceitos do homem criações do pecado, e não de Deus, Gênesis 1.27; Mateus 19.8, faz-se necessária uma criteriosa reavaliação de alguns conceitos, como a questão do critério "sexo" para o exercício do ministério pastoral. Precisamos de uma vez por todas entender que o ministério na ótica do Senhor está calcado em valores sublimes, em uma conduta ética aprovada. De fato, não daria para entender a grandiosidade de um Deus, assim qualificado na Sua Palavra, que vinculasse o ministério pastoral à sexualidade de seus filhos.

AFINAL DE CONTAS, POR QUE NÃO PASTORAS?


Fonte: Sérgio Ricardo Gonçalves Dusilek - Bacharel em Teologia e Mestrado em Filosofia

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

A Força Escondida de Ester!



DIREITOS AUTORAIS DA IMAGEM
Creative Commons License
This obra by A força escondida de Ester(imagem e texto) is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.


A Força Escondida de Ester!

Ester era uma órfã solitária que desenvolveu dentro de si as qualidades incomuns de penetrar através das superfícies e comover todos os corações . O feriado de Purim representa o melhor de todos os tempos. Porém, surgiu do pior de todos os tempos. O Povo Judeu nunca esteve mais próximos da destruição, tanto espiritualmente como fisicamente. O hedonismo predominante da cultura Persa era parte do ar que respiravam. Entorpecia nossos sentidos a ponto do povo ver o Rei Assuero aparecer com as roupas do Sumo Sacerdote de Jerusalém, mostrando o tesouro que tinha roubado do Templo Sagrado, com a imparcialidade de um curador de museu, e não haver nenhum protesto. Mas, chegaram a ponto de dizer, "Que bonito e fascinante”, quando uma vez disseram, "Se eu me esquecer de você, O Jerusalém, esquecerei minha mão direita”. Perderam a sensibilidade em relação a si mesmos, e em relação a Deus. Deus é o personagem escondido do Livro de Ester. Seu nome não é mencionado. Como os eventos ocorriam em tempo real, poucos podiam ver Sua presença escondida . Uma das pessoas que via era Ester. De alguma maneira ela escapou desta falta de sensibilidade.
Da solidão para a força.
Vamos nos espelhar em Ester a fim de descobrir um lugar dentro de nós que possa nos ajudar a ver, assim como ela, além da fachada exterior do que chamamos de "realidade”. Seu pai morreu quando sua mãe ainda estava grávida dela; sua mãe morreu ao dar a luz. Portanto, Ester veio ao mundo com a ferida aberta de não pertencer a ninguém. Seu tio Mordechai, que mais tarde se tornou seu orientador e assumiu a responsabilidade de cuidar dela. Tudo isso me faz ver que; as circunstâncias de seu nascimento não foram nenhuma coincidência. A alienação e a solidão são ferramentas como todas outras que nos capacitam a nos tornar quem somos. Era daquele lugar vazio que a profunda conexão de Ester com Deus se desenvolveu. “A raiz da palavra hebréia ester é saiter, que significa "encobrimento". (Rebbetzin Tzipporah Heller) Seu nome se encaixa com sua essência, a habilidade de perfurar as paredes de encobrimento e encontrar Deus onde outras pessoas não encontravam. Freqüentemente somos enganados pela natureza opaca de nossas interações com Deus. Ele aparentemente não reage quando saímos do caminho. Não somos atacados por um raio quando fazemos escolhas erradas. Da mesma forma como não ficamos de repente ricos ou necessariamente em melhor condição física quando abrimos nossos olhos para o que há de profundo e eterno dentro de nós.



O perverso prospera e o justo existe com as mesmas limitações que todo o mundo tem. É como parece, claro, se não nos comprometermos a penetrar na superfície. Ester foi uma mestra em quebrar as paredes que nos cercam. Essa era a arma que usava para ensinar a si mesma em seus anos de solidão e anseio. Ester aprendeu a ver Deus aonde quer que olhasse. Ela O viu como seu único pai e deixou que Ele a guiasse. Todos nós temos nossos lugares vazios. Ao invés de permitir que eles nos levem à amargura, vamos usá-los como uma escada. ”Ester teve um nome adicional: Hadassá. A palavra hebréia hadassá significa "murta", e é uma das quatro espécies que usamos em Sucot. O etrog (cidra), simboliza e tem forma de coração, o lulav (folha de palma), a espinha dorsal, a aravá (salgueiro), os lábios, e a hadassá, os olhos. Os olhos de Ester podiam ver a realidade interna tão claramente quanto nossos olhos vêem a realidade a externa.” Seu nome não foi dado aos acaso, e sim representava a última descrição de sua melhor qualidade. Vamos olhar mais de perto a natureza de hadassá para ganharmos uma compreensão clara da natureza íntima de Ester, e em último caso, de nossa própria. As folhas da murta são verdes e uniformes. Se eu fosse nomear uma criança com um nome de planta (o que é altamente improvável), tenderia a chamá-la de Rosa, Lírio, ou na pior das hipóteses, Margarida, muito antes de chamá-la de Murta ou Hadassá. Ester tinha sete criadas, como era de costume da corte. Com a finalidade de lembrar-se de quando era Shabat, ela as nomeava de acordo com os dias de semana. Numa sociedade estratificada como a Pérsia antiga, poderia ter facilmente desumanizado seus criados os chamando de segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, etc. Nada poderia ser um insulto maior ao seu valor humano. Mas, ao invés disso, ela as chamava de acordo com a ordem de criação de Deus. Uma era Luz, a outra Transcendência, etc. Em última instância, todos foram convertidos ao Judaísmo, embora esse não era, nem de longe, a intenção de Ester. Tornando-as mais cientes de quem realmente eram, se tornavam mais capazes de olhar em direção ao que queriam ser de verdade. Ela teve êxito em trazê-las a uma consciência genuína de sua essência interna. Verde é uma cor composta de dois componentes primários: azul e amarelo. O azul simboliza o frescor e o amarelo simboliza o calor. Ester era composta de duas forças também: quente como o sol e refrescante como a água. Seu "verdor" era o símbolo espiritual de humildade, receptividade e sensibilidade. Quando pudermos tirar as camadas de tolice que são o que restou hoje em dia do palácio de Assuero, encontraremos em nós mesmos a parte que, assim como Ester, pode perfurar qualquer armadura, até a nossa própria. E então veremos Deus onde nunca acreditaríamos que Ele poderia estar: em nossos corações, no das pessoas, nos acontecimentos do dia-a-dia que formam a tapeçaria de nossas vidas.
Rosangela Colares
Fonte: aishbrasil.com.br

DIREITOS AUTORAIS DA IMAGEM
Creative Commons License
This obra by Rosangela Colares.gif(imagem e texto) is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
VOCÊ SABIA?
"… que Haman foi enforcado no terceiro dia de Pêssach? (Purim é o aniversário da celebração da vitória dos judeus após sua guerra contra seus inimigos (11 meses depois) … que o nome hebraico de Ester era Hadassá? ("Ester" é persa) … que Mordechai foi o primeiro homem na história a ser chamado de "judeu"? (Antes disso, os judeus eram chamados de hebreus ou israelitas) … que Assuero ficou quatro anos procurando uma rainha, e durante este tempo ele considerou mais de 1400 concorrentes, antes de escolher Ester? … que Vashti (a primeira rainha de Asssuero) era bisneta de Nabucodonosor, o imperador da Babilônia que destruiu o Primeiro Templo? … que foi Haman quem aconselhou Assuero a matar Vashti? … que há uma opinião no Talmud dizendo que Ester não era bela, e tinha um tom de pele esverdeado? … que Haman certa vez fora escravo de Mordechai? … que Mordechai, que se recusou a inclinar-se perante Haman, era descendente de Binyamin, o único dos filhos de Yaacov que não se curvou perante o ancestral de Haman, Essav? … que o decreto de Haman jamais foi revogado? (Assuero simplesmente emitiu um segundo decreto, dando aos judeus o direito de se defenderem por si mesmos) … Mordechai era um homem bastante velho durante a história de Purim? (Ele já era membro do Sanhedrin, a mais alta corte da Lei da Torá em Jerusalém, 79 anos antes do milagre de Purim!) … que todo judeu no mundo vivia no reino de Assuero, de modo que foram todos incluídos nos decretos de Haman?

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Subindo o Monte Sinai




Escolhi Monte Sinai para ser consagrada a Deus. Primeiro porque foi ordem de Deus. Segundo pela a importância do significado deste Monte Sagrado.

Estamos agora no deserto na península do Sinai, contemplando com reverência o sagrado Monte Sinai.

Este é o local onde há 3.300 anos um povo libertado, recém-saído da escravidão, ficou de pé para ouvir a voz de Deus proclamando os Dez Mandamentos e outorgando a Israel a Sagrada Torá.
É uma montanha estéril e rochosa, como se o solo fosse tão sagrado que nada pudesse se ocultar ou crescer ali. No topo da montanha vemos dois picos, um deles um pouco mais alto que o outro. O mais alto de frente para o leste, é conhecido como Monte Sinai. O outro, virado para oeste, é o Monte Horebe.

Uma pequena fonte jorra do Sinai, e logo abaixo do cume há uma caverna. Segundo uma lenda árabe foi nessa caverna, mencionada na Torá como "Paredão da Rocha", que Moisés se abrigou quando contemplou a Glória de Deus. No Monte Horebe há também uma caverna pequena e estreita, sobre a qual se afirma ser aquela onde o Profeta Elias se escondeu quando a impiedosa Rainha Jezabel perseguiu os Profetas de Deus. Foi ali que Elias passou a noite e Deus apareceu para ele "não no vento, não num terremoto, não num fogo, mas numa pequena voz". Diz-se que o nome "Sinai" é derivado da palavra hebraica S’neh – "moita espinhosa", que cresce em abundância naquele deserto. Foi de uma humilde "sarça ardente" que Deus primeiro Se dirigiu a Moisés, ensinando assim que Deus está entre os de espírito humilde. Na Torá, a montanha é mencionada por vários nomes adicionais, como "Har Elokim" (Montanha de Deus), "Tzin", "Kadesh". Mencionaremos apenas que nossos Sábios conectam a palavra "Sinai" com a palavra "Sineah" (ódio), porque como Israel foi escolhido para receber a Torá e ser "um reino de sacerdotes e uma nação sagrada", Israel tornou-se objeto de ódio por parte do mundo, um ódio que somente desaparecerá quando o mundo inteiro entender a verdade da Torá e aceitar seu espírito.

Alguns eruditos falam muito bem do Monte Sinai. Dizem que o mundo existe somente pelos méritos do Monte Sinai e do Monte Moriá, sobre o qual ocorreu a Akedá (sacrifício de Isaque), e mais tarde o Beit Hamidash (templo de Deus) foi construído. Os estudiosos da Torá dizem que a existência do mundo depende da observância da Torá (recebida no Sinai), baseada no espírito de auto-sacrifício (como foi mostrado no Moriá).

Por que esta montanha despretensiosa foi escolhida para o acontecimento mais notável na história da humanidade – a Outorga da Torá?

Dizem que todas as outras montanhas mais altas e mais belas, como Carmel e Tabor, foram em alguma ocasião usadas para idolatria. Somente o Monte Sinai não tinha sido profanado e, portanto estava apto a servir para esta função sagrada.

Outra explicação interessante é que todas as outras montanhas estavam "orgulhosas" de sua altura, exigindo o direito de serem escolhidas para este grandioso evento, e exatamente por este motivo Deus preferiu o humilde e modesto Sinai. Aqui, mais uma vez, encontramos uma lição, de que a humildade de espírito é o primeiro requisito para a posse da Torá.

Nossos Sábios dizem que a famosa escada com a qual Jacó sonhou quando fugiu de Esaú, e estava colocada sobre a terra com seu topo atingindo o céu, estava suspensa sobre o Monte Sinai. Eles encontraram uma pista sobre isso, pois o equivalente numérico da palavra hebraica "Sullam" é o mesmo da palavra "Sinai".

http://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/egito/sinai.php

Abraço Fraterno
Pastora Rosangela Colares

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

SHALOM, SHE ELOHIM TEVARECH OTACH





A Bíblia não é um livro, mas um conjunto de livros, o que significa dizer que ela está repleta de mentalidades, contextos históricos e culturais e teologias. A diversidade da Bíblia revela também as divergências entre vários dos seus textos, o que enriquece ainda mais o seu conteúdo, pois o caminho das divergências não produz só guerras e catástrofes, pode apontar também o caminho do crescimento humano: o que seria da humanidade sem as divergências dos filósofos gregos, por exemplo? O que seria do cristianismo sem as divergências teológicas entre Pedro e Paulo? Infelizmente, as tentativas de se estabelecer uma "teologia bíblica", o que acho impossível, têm servido para esvaziar o que há de mais belo na Bíblia, a sua diversidade, reflexo da parceria entre Deus e o ser humano na construção dos textos sagrados.
Nem a Revelação que se tem de Deus diz tudo dEle.
A mente humana e limitada não sabe tudo sobre Ele e jamais o saberá. Claro que essa uma uma estratégia divina. Imagine se soubéssemos!


Existe na bíblia a relação Deus e ser humano. Vocês acham que Paulo estava exagerando quando disse que somos cooperadores de Deus? (Porque nós somos cooperadores de Deus; (I cor. 3.9))

Se foram seres humanos que escreveram os textos bíblicos, isso é fato, e se foram inspirados por Deus, isso é crença, qual seria o problema de usar o termo, parceria?
Ainda há, dentro do cristianismo, um terrível medo do humano, fruto da influência que o contato de grandes mestres cristãos, sobretudo da idade média, com que o neo-platonismo deixou. Deus mostrou em toda a história que o humano, apesar de suas limitações, é belo, tanto que escolheu se tornar humano. E ao que me consta, Ele não escolheu anjos para escrever os textos que encontramos em nossa Bíblia nem colocou estes textos prontos dentro das pessoas que os escreveram se Paulo diz que devemos ser cooperadores de Deus, é porque entendia que a obra divina entre os homens e mulheres acontece mesmo numa parceria Deus/humanidade.

E necessário de uma vez por todas que reconheça altura e o valor que Deus nos deu. Ele próprio tomou nossa forma, veio até nós, encarnou a humanidade e foi EMANUEL! Precisou de nos, usou nossas mãos, pés, boca, desfrutou de nossa companhia, pediu ela muitas vezes, lhe foi negada por alguns, mas a valorizou dos fieis. Então? Sejamos amigos de Deus e cooperadores sempre!Por que essa neura de escapismo e fuga para um platonismo absurdo que rejeita o valor do humano e se refugia em um sagrado ilusório? O reino de Deus esta dentro de vós! Descubram-no. Pisem no chão, sintam a terra, a vida, vejam as pessoas com o valor real que elas tem, sintam Deus!
Se não tivesse precisado de nós, não nos teria incluído em Seu plano divino. Ele não iria contra a ordem da criação. Anjo é anjo, demônio é demônio, Deus é Deus. Ser de uma natureza distinta que a do humano. A mensagem deveria ser comunicada para ser coerente, ter sentido e essência, na dimensão do humano X humano. Deus não se contradiz.

Quem creria em uma voz 24 horas vinda de algum lugar nenhum? Religião (Cristianismo) e relacionamento e não bla, bla, bla! . Deus e amizade e companheirismo. Ele nos criou para vivermos como seus amigos e não inimigos. Deus precisa de nossa amizade. Ele e relacional. Então por que sentido ele criaria seres: animais inferiores e os homens, se nunca existiram antes? Para ficarem jogados em cima de um pedaço de terra? Ou debaixo das águas? Se valesse para Ele fazer tudo, não deveria então ter criado uma mulher para o homem. Deixava que Adão coabitasse com uma cabra, uma vaca, uma zebra. Existem razão e ordem no universo e Deus não quebra esse principio. Não diminuam, reduzindo a nada o valor antropológico que Deus mesmo deu ao Homem.
Não devemos esquecer o que somos? Sua imagem e semelhança. Isso é pouco?

Pastora Rosangela Colares

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Você tem podado suas plantas?




Recebí da amiga Susanne em: 13 de Janeiro de 2008




Quando eu era criança, vi um dia, um jardineiro cortando os galhos mais tenros de todas as plantas. Fiquei revoltada .Ele sorriu e pediu que tivesse paciência e voltasse em 30 dias.Um mês depois,as plantas estavam ainda mais bonitas.
E ai aprendi o segredo das podas.Elas devem ser feitas nos galhos que dão frutos. Parece um sofrimento cortar justamente esses galhos. E isso faz pensar na maneira como reagimos aos sofrimentos que nos chegam.Em vez de achar que são castigos, por que não encarar os sofrimentos como o agricultor que poda suas árvores, para darem mais frutos ainda?
De vez em qdo, não entendemos nada, ficamos como árvores carregadas de folhagens que, depois da poda, se reduzem a galhos secos. Qdo estiver se sentindo assim, por uma perda, uma doença, um desânimo, uma ingratidão...o melhor, é seguir o exemplo da natureza, que é sábia!Tudo sempre volta a florir e frutificar.
Dê tempo ao tempo.
Ele cura absolutamente tudo!

Abraço Fraterno
Rosangela Colares

quinta-feira, 26 de julho de 2007

INFORMAÇÕES IMPORTANTES



INFORMAÇÕES:
O Mestre de Paulo foi Gamaliel I, era da corrente de Hillel (At 5:34)
Shammai (50 a.C.–30 d.C.) foi um estudioso judeu do primeiro século e uma das figuras mais importantes da Mishná. Fundou uma escola conhecida como Beit Shammai. Geralmente é associado a Hillel, o ancião de quem foi contemporâneo e oponente sobre as interpretações que deveriam ser dadas aos mandamentos da Halachá.Halachá (em hebraico הלכה; também transliterado como Halakhah, Halakha, e Halachah) é o nome do conjunto de leis da religião judaica ,incluindo as leis da Torá e os mandamentos rabínicos posteriores, relacionados aos costumes e tradições, servindo como guia do modo de viver judaico.Shammai era radical quanto a sua teologia. Dizia que o evangelho era exclusividade dos Judeus, uma abertura missionária aos gentios era impensável. Sua linha de pensamento era o seguinte: Se a mulher deixasse queimar o arroz, o marido deveria deixá-la.
Referência retirada do livro de Stefano Virgulin – APPUNTI SULLA LETTERATURA PAOLINA ( Ad de uso privato deeli studenti – Roma 1988)
Prof. Dell’università di Roma.
Foi com essa visão que Paulo chegou no cristianismo. Pois foi seguidor de Gamaliel.
Depois como percebe-se foi-se adequando.


Pastora Rosangela.

quarta-feira, 25 de julho de 2007

Uzá foi fulminado por Deus?




Era um dia de grande alegria em Israel. "Davi e todo o Israel alegravam-se perante Deus, com todo o seu empenho; em cânticos, com harpas, com alaúdes, com tamboris, com címbalos e com trombetas" (1 Crônicas 13:8). Depois de mais de 40 anos de desprezo, a arca de Deus estava voltando para ficar novamente no meio do povo de Israel (1 Crônicas 13:1-3; 1 Samuel 4:1-11). Mas, no pique da celebração e festim, os bois que puxavam a arca em seu carro novo tropeçaram. Para evitar que a santa arca caísse no chão, Uzá estendeu a mão e a segurou. Com isso, ele morreu, castigado pela ira do Senhor. O dia de alegria tornou-se dia de grande tristeza e luto.
O que aconteceu de errado para que se acendesse a ira do Senhor contra este "bom homem" que simplesmente tentava proteger a santidade da arca de Deus?
Você sabia que a arca da aliança, foi o primeiro capacitor de energia feito por mãos humanas... por isso podia matar eletrocutado...?
Adriano Bizerra, um grande amigo que mora na Rússia, cientista, médico, engenheiro, psiquiatra e evangélico.
Ele diz o seguinte: Existe uma lei física que diz o seguinte: Sempre que houver um material condutor de energia, este gerará uma força perpendicular a sua circunferência de forma diretamente proporcional a corrente elétrica que por aí passa gerando o que chamamos de campo eletromagnético. O inverso é verdadeiro.
Sabemos que uma das forças que existe em nosso mundo é a força eletromagnética onde seus pólos estão quase nos pólos geográficos da terra.
Isto gera uma força chamando energia eletrostática.
Esta vai depender muito das localizações geográficas e climáticas.
Ou seja, a partir desta pode-se conseguir energia elétrica.
Um exemplo desta interação é o que acontece em uma usina hidroelétrica as águas rodam umas pás e estas pás estão circundadas por fios enrolados como uma bobina, gera-se então um campo eletromagnético e este faz com que apareça energia elétrica no fio condutor.
Assim é que se aparece a nossa energia aqui no nordeste do Brasil.
Ao ser construída réplicas da arca foram submetidas a testes em universidades, isto está documentado ela tem a forma de um imenso capacitor de energia eletrostática.
Vai armazenando energia e quando há um contato direto dela com o chão vira um material condutor a transmissão de energia elétrica com a carga igual a de um raio, a arca estava andando pelo deserto, armazenando energia eletrostática em cima de uma carroça de madeira, que é um material isolante, quando ela foi cair, o homem tocou nela e colocou o pé no chão.
O homem conduz energia elétrica então, uma quantidade de energia que estava lá armazenada com uma voltagem semelhante a um raio, o atravessou e dirigiu-se a terra deve ter havido uma explosão como um raio.
Seu coração parou, e deve ter ficado tostado, queimado.
Uma cena impressionante para a época.
A arca funciona como uma imensa bateria, e a origem de sua energia é a eletrostática.
Já ouviu falar de pessoas que levam choque ao sair do carro?
Por isso que não se pode usar telefones celulares em postos de gasolina...
Se cair o fio em um carro, e a pessoa não descer não haverá nada, pois os pneus são isolantes elétricos. Mas se a pessoa descer do carro leva um choque.
Por exemplo, a bateria de um carro, a energia é originada pela energia química que é transformada em energia elétrica.
No caso da Arca da Aliança, a energia eletrostática, era transformada em energia elétrica.
No caso de Uzá, foi à mão de Deus? Ou uma fatalidade? O rapaz estava tão bem intencionado!
Mas o que havia no coração dele? Pra que ele estivesse exatamente ali naquele momento, o que ele estava pensando? Não devemos julgar, os desígnios de Deus a Ele cabe.
Depois falaremos mais sobre isso e outras questões polêmicas como: A travessia do Mar Vermelho. O fogo em Sodoma e Gomorra, as águas do Mar Morto (são as do dilúvio). As muralhas de Jericó. Sobre a formação do homem Adão, os quatro rios do Edem.
Abraço fraterno
Rosangela Colares